Quarta-feira, 23 de Setembro de 2020
Mais Lidas

A voz do Poeta

Poemas e Poesias

Publicada em 14/01/20 às 16:37h

por Milton Jorge da Silva


Compartilhe
   

Link da Notícia:

Casal  (Foto: Milton Jorge da Silva e Leonice Bággio)

A voz do Poeta pretende sempre deixar uma mensagem de otimismo e fé na vida em poemas  e poesias.

Nada se compara ao meu lugar

Onde o Poeta conjuga o verbo amar.


LAMPIÃO

 

Cresci no interior, vi filmes de lampião,

Cenário seco e deserto, lugar chamado sertão.

Virgulino era a fera, a assombrar coronéis,

Não lembro o nome dos artistas que fizeram tais papéis.

 

Um bando de valentões, armados até os dentes,

Ditavam as regras e a lei, eram machos valentes.

Desafiavam governos, faziam a polícia correr,

Porque até os fardados tinham medo de morrer.

 

Conta a lenda que um dia, lá pras bandas de Piranhas,

Encurralaram a fera e meteram muito estanho.

Cortaram sua cabeça e exibiram nas feiras,

Para mostrar ao povo o fim do cangaceiro.

 

Essa história registrada, em Piranhas tem museu.

Mas existe outra versão que Lampião não morreu.

Fez acordo com o Governo e fugiu para a Bahia,

Onde viveu muitos anos na companhia da tia.

 

Como não sei em qual verdade  devo acreditar,

Não vou deixar palpites para não polemizar.

Se morreu ou ficou vivo, só Padre Cícero é sabedor,

Pois teria negociado, foi o Santo protetor.

 

Quem morreu foi o cangaço, Lampião aposentou,

Trocou de nome e de vida, e apenas se calou.

Numa história recente, há tanta mentira envolvida,

Escolha uma e divirta-se, com as verdades da vida.

 





Poesias e Poemas

Momentos de Reflexão


FRUTAS E SABORES DE ALAGOAS.

 


Viajando pela vida, confesso nunca encontrei,

Tantas cores e sabores, que em Alagoas desfrutei,

Sabores cheios de cores, aromas que inebriam,

Frutas belas saborosas, delícias de todo dia.

Melão, jaca, sapoti, uva,  jabuticaba,

Manga, caju, acerola, banana, cajá, mangaba,

Seriguela, graviola, pitanga,  carambola,

Basta escolher o sabor, frutas fresquinhas da hora.


São frutas nordestinas  sem veneno pra você,

Corres vens saborear, não há tempo a perder.

Traga paz e esperança, muito amor no coração,

Aproveite o mar azul, mergulhe nessa emoção.


Coco verde, fruta pão, goiaba,  e    mamão,

Umbú, cana, abacaxi, pitomba, pinha, açaí

Tudo isso pra você, paraíso está chamando,

Vens correndo conhecer, Alagoas está te esperando.


CRTD DEODAPOLIS – reg 2.934, Lv. B-18 fls. 189/200  15.03.2012

 

o pelo Brasil conhecendo os lugares,

mas nada se compara ao retorno à Deodápolis.



Próxima Matéria 

Matéria Anterior


NATUREZA

 

 DM                A             Dm                     A               Dm  

Lá fora a chuva cai silenciosa, os pingos gotejando devagar,

D7                 Gm                      Dm                Bb       A          Dm

Pássaros em festa parecem agradecer, a brisa suave do amanhecer.

Dm         A                   Dm                     A              Dm

A terra molhada cheira forte, a natureza exala seu poder,

D7             Gm                        Dm        Bb            A            Dm

O céu clareando, se enche de cores, anunciando novo amanhecer.

 

D       Gbm               Bm              G              A                 D 

O sol aparece entre nuvens, seus raios vão levando a umidade,

D7         G        A            Gbm       Bm          mm         A            D

Pensamento,  viaja bem distante, lembrando um amor da puberdade.    

 

Dm       A           Dm                           A                 Dm

O sol aquece a plantação, folhas soltas rolam pelo chão,

D7        Gm                  Dm           Bb               A           Dm

Parece o destino a nos levar, por caminhos que iremos trilhar.   

Dm         A                Dm    D7             G         A              D

Destino decide nossa vida, uns querem rosa, outros margarida,

D7                G                D               Bm       mm    A       D

Cabe a cada ser fazer a opção, se vai seguir a voz do coração.

   

D       Gbm               Bm              G              A                 D 

O sol aparece entre nuvens, seus raios vão levando a umidade,

D7         G        A            Gbm       Bm          mm         A            D

Pensamento,  viaja bem distante, lembrando um amor da puberdade.

 

Tema - Saudade.

Milton Jorge Silva.

Registro 2.650 – Lv B-15 fls. 151/176 – CRI 03.09.2008

SAUDADE –

Saudade, que sentimento será esse,

que faz sorrir ou faz chorar,

pode ser dor, amor e felicidade, sonho ou realidade.

Será que é memória, alegre ou triste,

de alguém que existe que nunca passou,

Será emoção, amor, solidão,

um sonho perdido, nos cantos da vida.

Depende de ti, do teu coração,

da tua emoção, a interpretação.

Saudade é dor, se falta um amor,

que por muito tempo foi sua ilusão,

A lágrima desce a dor aparece,

e te faz sofrer, não deixa esquecer,

Saudade é felicidade, quando a lembrança,

te traz esperança, e fé no amanhã.

A alma bem leve, dançando ao luar,

gritando bem alto, como é bom amar.

Depende de ti, do teu coração,

da tua emoção, a interpretação.

Saudade é amor, quando traz alguém

que você conquistou, e que te faz feliz.

O riso estampa, o olhar encanta,

coração dispara, te deixa sem fala.

Saudade é sonho, quando um amor proibido,

sofrido escondido, não pode aflorar,

Rolas pela cama, nada de dormir,

é um pesadelo querer e não conseguir.

Depende de ti, do teu coração,

da tua emoção, a interpretação.

Saudade é realidade, quando na verdade,

podemos afirmar,

Que saudade, todo mundo sente,

alegre ou triste, é só um momento,

Depende de ti, do teu coração,

da tua emoção, a interpretação..

 

 

BRUMADINHO UM ANO DEPOIS

Assisto triste e consternado

Os crimes hediondos do Capital.

Amanhece eterno dia de Finados

Sob o odor do lamaçal.

Na mídia a Vale propaga

Com pompa grandes realizações.

Tempo e impunidade o crime apaga

Sem ligar para dores e aflições.

Brumadinho à chorar de dor

De ver seus filhos assassinados.

Só que a ganância e o desamor

Insistem em não apontar culpados.

Mensagens sobem aos céus

Em frágeis balões coloridos.

Crime perfeito e sem réus

Quem paga o jardim perdido?...

A natureza bela e verde

Agoniza em tom marrom acinzentado.

Fauna e flora a padecer de sede

Água virou esgoto contaminado.

Brumadinho mais parece um cemitério

Com Bombeiros heróis a escavar.

O número de vítimas é mistério

A cada dia à aumentar.

Enquanto o vale da Vale

Indigna à toda população.

Quer impedir que se fale

Do crime hediondo e sem punição!

 

 

FERNANDO PESSOA POETA.

 

F  ingir que dor é prazer

E ncanto que faz o poeta

R ecordar também é viver

N a insônia que a alma inquieta

A alma solta em devaneio

N avegando pelo mar

D ando ao leitor novo recreio

O verso da poesia faz sonhar.

 

P erfeito em seu versejar

E ntretendo a razão

S ábio dilata o verbo amar

S ossegando a alma e o coração

O vento que sopra do mar

A ssovia em tom de canção.

 

P oemas escritos com sutileza

O nde o leitor que o sabe ler

E ncontra leveza e beleza

T eimando em seu verso se esconder

A poesia é a arte de não dizer!


ENCHENDO A MALA

No início da viagem sua mala é pequena

De estação em estação a bagagem só aumenta.

Tantas coisas fúteis recolhidas no caminho

Momentos de colher flores ou de sentir os espinhos.

 

Quando o peso aumentar, o cansaço aparecer

Aquilo que quiser levar só depende de você.

Jogues fora a tristeza o ódio e o rancor

Sentirás que não tem peso uma mala de amor.

 

Não se deixe abater, você não está sozinho

Não vale a pena parar, sentar a beira do caminho.

Quem para fica para traz, olhando os outros passar

Não consegue descobrir o mistério de chegar.

 

 






ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:








Nosso Whatsapp

 67 9 9907-1049

Visitas: 2399257
Usuários Online: 94
Copyright (c) 2020 - Vida Nova FM - Associação Comunitária de Comunicação Social de Deodápolis